teste de eliza elisa indireto eliza direto anticorpo antigeno

Teste de ELISA (Imunoenzimático): como é feito, quais doenças detecta e quais os tipos?

26 out
Postado por Marina Caxias Categoria: Blog

O teste de ELISA, que vem do inglês “Enzyme Liked Immunosorbent Assay” (Ensaio de Imunoabsorção Enzimática), permite a detecção de antígenos (Ag) e anticorpos (Ac) através de reações enzimáticas, por isso, se diz um teste imunoenzimático.

CONHEÇA o Curso de imunologia clínica do IBAP

CLIQUE AQUI e aprenda Elisa online!

Qual o princípio do teste de ELISA? Como funciona?

Esse teste tem o princípio de unir a sensibilidade de uma ligação Ag/Ac com a sensibilidade de uma reação enzimática.

É usada uma base (placa) sólida com 96 poços em que, por ligações hidrofóbicas, antígenos e anticorpos irão se ligar.

E, para que esse teste funcione, uma enzima é ligada covalentemente a um antígeno ou a um anticorpo que reconhece o alvo (Ag ou Ac) pesquisado. Se esse reconhecimento for feito, a enzima irá reagir com um substrato que levará a oxidação de um cromógeno incolor, que apresentará coloração dependendo da concentração do antígeno ou do anticorpo pesquisado.

princio do teste de ELISA Teste ELISA Enzyme Liked Immunosorbent Assay Ensaio de Imunoabsorção Enzimática antígenos Ag anticorpos Ac reações enzimáticas

Fonte: http://starlabrasil.com.br/services/teste-de-elisa/

 

O teste de ELISA detecta quais doenças?

O teste é usado para diversos testes em um laboratório, como para detectar doenças autoimunes (ex.: Artrite Reumatoide), alergias, patologias que desencadeiam produção de imunoglobulinas, doenças infectocontagiosas (ex.: Doença de Chagas, HIV), dosagem de hormônios (ex.: teste de gravidez, T3, T4, testosterona, estradiol e progesterona), marcadores tumorais e proteínas séricas, doenças virais, doenças bacterianas e de protozoários (ex.: Rubéola, Toxoplasmose e Herpes).
E para atender essas diversas funções, tem-se diversos tipos de teste.

 

Quais os tipos de teste de ELISA?

O teste de ELISA tem 4 tipos principais: ELISA direto, ELISA indireto, ELISA sanduíche e ELISA de competição.
O ELISA direto é quando o alvo é um antígeno ligado à placa, e um anticorpo primário conjugado a um emissor de cor é colocado diretamente ao alvo, e é um tipo pouco usado.
Já o ELISA indireto é mais usado e é bem parecido com o direto. Tem também como alvo um antígeno, porém é detectado em 2 passos – primeiro um anticorpo primário é ligado ao antígeno e depois um anticorpo secundário é ligado novamente (um anti-anticorpo), e então detecta-se esse anticorpo secundário.
Há um tipo, que é menos comum, que é o ELISA de competição. Esse método pode detectar um antígeno com baixo peso molecular ou com poucos epítopos de ligação. Utiliza um antígeno marcado para competir com o antígeno alvo, então, o antígeno marcado se liga menos quanto tem menos antígenos alvos na amostra.
E entre os 4 tipos, existe um tipo que é o mais comum, o ELISA sanduíche. Esse tipo é realizado em alguns passos – primeiramente, anticorpos de captura são ligados ao fundo da placa, para evitar que nenhum outro anticorpo interfira na reação com os antígenos alvo que possivelmente estarão presentes na amostra. E então, são adicionados anticorpos conjugados à enzima para que façam o reconhecimento do antígeno.

Teste ELISA Enzyme Liked Immunosorbent Assay Ensaio de Imunoabsorção Enzimática antígenos Ag anticorpos Ac reações enzimáticas elisa direto elisa indireto elisa sanduiche elisa de compecao

Fonte: https://www.pensabio.com.br/single-post/2019/03/21/Conheca-os-diferentes-tipos-de-ELISA

 

Como é feito o teste de ELISA? Passo a passo.

Como há alguns tipos diferentes de teste de ELISA, também são diferentes as formas de realização.

– ELISA direto:

1. Um antígeno é adicionado à placa e se liga à sua superfície.
2. É feita uma lavagem para retirar os antígenos que não se ligaram.
3. A amostra a ser pesquisada é adicionada, e se tiver anticorpos contra o antígeno adicionado à placa, eles se ligarão.
4. Uma nova lavagem é feita para retirar os anticorpos que não se ligaram.
5. O cromógeno e o substrato são adicionados, e se o cromógeno for oxidado pela enzima, haverá formação de cor.

– ELISA indireto:

Esse método é bem semelhante ao direto, porém entre a segunda lavagem e a adição do cromógeno com o substrato, é adicionado o segundo anticorpo (o anti-anticorpo) e feita uma nova lavagem para retirar o que não se ligou.

-ELISA sanduíche:

1. Um anticorpo de captura é adicionado à placa e se liga à sua superfície.
2. É feita uma lavagem para retirar os anticorpos livres.
3. A amostra a ser pesquisada é adicionada com os antígenos alvo que se ligam aos anticorpos de captura nos poços, se esses antígenos forem presentes.
4. Uma nova lavagem é feita para retirar os antígenos não capturados.
5. Um conjugado específico para o antígeno alvo é adicionado.
6. Mais uma lavagem é feita para retirar os conjugados que ficaram livres.
7. O cromógeno e no substrato são adicionados, e se o cromógeno for oxidado pela enzima, haverá formação de cor.

ELISA de competição:

1. Um anticorpo específico é adicionado à placa.
2. É feita uma lavagem para retirar os anticorpos que não se fixaram à placa.
3. A amostra a ser pesquisada com o antígeno alvo e uma solução contendo antígeno marcado são adicionados na placa.
4. Os antígenos competem e os que tiverem em maior concentração se ligarão mais aos anticorpos.
5. Uma nova lavagem é feita para retirar os antígenos não capturados.
6. O cromógeno e o substrato são adicionados, e se o cromógeno for oxidado pela enzima, haverá formação de cor.

 

Quais as vantagens e desvantagens do teste de ELISA?

O teste de ELISA tem mais vantagens do que desvantagens, como pode-se ver abaixo:

Vantagens:

• Teste de alta sensibilidade, detectando quantidades mínimas do alvo pesquisado, com isso tem menor risco de falso negativo;
• Teste com alta especificidade, com muita precisão no resultado daquilo que se pesquisa, com isso tem menor risco de falso positivo;
• Pode-se realizar o teste em várias amostras ao mesmo tempo;
• Teste rápido e simples de ser realizado;
• Tem um custo de baixo a médio em relação aos outros testes.

Desvantagens:

• Teste que necessita de mão de obra especializada;
• Alguns reagentes utilizados no teste são vulneráveis;
• Teste muito susceptível a erros mecânicos, como erro de pipetagem, variação no tempo de incubação e lavagem, e alterações nos reagentes.

 

Referências

https://pt.slideshare.net/labimuno/elisa-3454963
https://www.ufrgs.br/labvir/material/aulap10.pdf
MINOZZO, João Carlos et al . Teste imunoenzimático (enzyme-linked immunosorbent assay) para diagnóstico da cisitcercose bovina e estudo da cinética de produção de anticorpos contra-Cysticercus bovis. Cienc. Rural,  Santa Maria ,  v. 34, n. 3, p. 857-864,  June  2004 .
https://www.biomedicinapadrao.com.br/2010/05/elisa.html
https://www.pensabio.com.br/single-post/2019/03/21/Conheca-os-diferentes-tipos-de-ELISA

Autora

Júlia Scandalo– Biomédica, Especialista em Biomedicina Estética.

 

Você também vai gostar de ler:

Imuno-histoquímica: o que é esse exame, como é feito e para que serve?

Imunofluorescência direta e indireta: conheça as diferenças, aplicações, vantagens e desvantagens

Reações de Imunoprecipitação: o que são, como são feitas e para que servem?

 

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.