opsonização sistema imune sistema imunologico imuni inata adaptativa fagocitose célula microorganismo patógeno ativação do sistema complemento

Opsonização (Imunologia): o que é, como ocorre e para que serve.

02 nov
Postado por Marina Caxias Categoria: Blog

Estamos constantemente expostos a diversas doenças, toxinas e impurezas. Assim como a infecções, e muitas vezes resistimos a elas devido ao nosso sistema imunológico e alguns processos que ele é capaz de realizar. Entre eles podemos citar opsonização, que é uma palavra que causa medo, mas que não é tão difícil de entender. Então, para começar, vamos explicar o que é opsonização?
Opsonização, em imunologia, é um processo em que anticorpos ou fragmentos do complemento são fixados na superfície de microrganismos que devem ser eliminados e os recobrem, facilitando o reconhecimento e posterior destruição pelas células responsáveis por essas ações (os fagócitos, na maioria das vezes). E para esse processo acontecer, as opsoninas são primordiais.

 

CONHEÇA o Curso de imunologia clínica do IBAP
CLIQUE AQUI!

 

O que são opsoninas?

As opsoninas são essas moléculas (anticorpos ou fragmentos do complemento) que se ligam aos microrganismos, também chamados de antígenos, e que são essenciais no processo de opsonização. Essas moléculas são as que os neutrófilos e fagócitos reconhecem por seus receptores e que aumentam a eficiência da fagocitose.
Os principais componentes que agem como opsoninas são o anticorpo IgG, que é reconhecido pelo receptor Fcγ nos fagócitos, e fragmentos de proteínas do complemento, que são reconhecidos por CD35 e pela integrina Mac-1 do leucócito.

 

Qual anticorpo está associado à opsonização de microrganismos?

O principal anticorpo presente nesse processo é o IgG, que tem a maior capacidade opsonizante. Anticorpos IgA e IgE também tem essa capacidade, mas não igual ao IgG. Após a opsonização, células NK (“natural killers” – fagócitos) são responsáveis pela destruição.

 

Qual a função da opsonização?

Esse método tem como função otimizar e facilitar o reconhecimento e a fagocitose, ou destruição, do antígeno que deve ser eliminado.

 

Como ocorre a opsonização dos microrganismos?

Microrganismos que não tem substâncias para serem reconhecidos pelos receptores dos fagócitos são ligadas às opsoninas, para que as células responsáveis pela destruição tenham onde ligar os seus receptores e destruí-los.
Acontece como um complexo Ag-Ac (Antígeno/Anticorpo), no qual as opsoninas se ligam à superfície do antígeno e depois todo o complexo é fagocitado, por isso é um processo tão importante na imunologia dos indivíduos.

Opsonização complexo agác microorganismos opsonizados imunologia microodanismo por igG fagocitose

Fonte: https://microimunoliga.blogspot.com/2018/08/3imunologia-sistema-complemento.html

 

Qual a importância da opsonização?

É um método muito importante no controle de infecções e na “limpeza” do organismo, por facilitar e promover o processo de destruição dos antígenos, até daqueles que dificultam sua destruição expelindo-se dos fagócitos durante a fagocitose.

 

Qual a relação entre opsonização e fagocitose?

A opsonização participa ativamente no processo de fagocitose, na fase de reconhecimento do antígeno e na sua destruição, pois não deixa com que o patógeno se repila e “fuja” do fagócito. Além de facilitar seu reconhecimento e facilitar a ligação do receptor que há na superfície do fagócito.
Uma fagocitose sem opsonização é uma fagocitose, muitas vezes, mais resistente e mais difícil.

 

Qual a relação entre opsonização e neutralização de patógenos?

Os dois processos são reações do sistema imune intermediadas por anticorpos. Essa é a única relação que há entre opsonização e neutralização de patógenos.
Na neutralização, anticorpos se ligam ao antígeno ou toxina invasora e impedem que se adsorvam na célula saudável, ou seja, neutralizam sua ação. Já a opsonização, como já falado, facilita o reconhecimento e destruição desses antígenos através de anticorpos que se ligam à superfície deles.

 

A opsonização influencia na quimiotaxia das células?

Sim, a opsonização influencia na quimiotaxia das células, pois os fragmentos das opsoninas que não se fixam à superfície do microrganismo, as que “sobram”, funcionam como moléculas quimiotáticas, ou seja, acabam guiando os fagócitos até o local do patógeno mais rápido.

 

Como a opsonização afeta o sistema complemento?

A opsonização leva ao reconhecimento das moléculas do sistema complemento pelos receptores, para complemento nos fagócitos, e pelas imunoglobulinas.
O sistema complemento ativado tem como uma das funções a opsonização.

Opsonização imunologia ativação do complexo lise bacteriana inflaamcao destruicao do patogeno sistema imune sistema imunologico
Fonte: https://microimunoliga.blogspot.com/2018/08/3imunologia-sistema-complemento.html

 

Referências:

http://cidanaimunologia.blogspot.com/2011/02/opsonizacao-e-fagocitose.html
https://blog.jaleko.com.br/imunoglobulinas-voce-as-conhece/
https://maestrovirtuale.com/opsonizacao-o-que-e-tipos-e-funcoes/
https://pt.slideshare.net/labimuno/anticorpos-funo-1202450
https://users.med.up.pt/~cc04-10/Imunologia/desgravadas/1_ReaccoesImunologicas.pdf
https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0104-42302001000100029

Autora

Júlia Scandalo – Biomédica, Especialista em Biomedicina Estética.

 

Você também vai gostar de ler:

Como é feito o diagnóstico laboratorial das doenças autoimunes?

Teste de ELISA (Imunoenzimático): como é feito, quais doenças detecta e quais os tipos?

Imunoaglutinação: o que é, quais os tipos, como é feita e para quê serve?

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.