imunoaglutinação imunologia método imunológico

Imunoaglutinação: o que é, quais os tipos, como é feita e para quê serve?

28 out
Postado por Marina Caxias Categoria: Blog

Neste artigo iremos falar sobre a imunoaglutinação. Iremos responder as seguintes perguntas:

1) O que é imunoaglutinação?
2) Quais os tipos de imunoaglutinação?
3) Como é feita uma reação de imunoalgutinação?
4) Para que serve o teste de imunoaglutinação?
5) Onde se aplica o teste de imunoalgutinação?
6) Quais as vantagens e desvantagens da imunoaglutinação em comparação aos outros métodos?

Vamos lá?

CONHEÇA o Curso de imunologia clínica do IBAP
CLIQUE AQUI!

 

Para começar a falar de imunoaglutinação, deve-se ter a resposta da seguinte pergunta, e a principal: O que é imunoaglutinação?
A imunoaglutinação é um método de diagnóstico que decorre da ligação entre Antígeno (Ag) e Anticorpo (Ac) específico particulados e tem como característica principal que um dos dois componentes (Ag ou Ac) é apresentado na forma insolúvel em suspensão, de forma natural em células, ou ligado artificialmente à micropartículas ou células. E essa técnica apresenta algumas formas diferentes.

 

Quais os tipos de imunoaglutinação?

Como dito no parágrafo anterior, esse método tem tipos diferentes de realização. Há 4 tipos de imunoaglutinação, sendo, aglutinação direta, aglutinação indireta ou passiva, teste de Coombs e inibição da aglutinação.
A aglutinação direta consiste em antígenos que são naturais da célula que se aglutinam a anticorpos específicos oferecidos ao meio. Já a aglutinação indireta (passiva) tem a necessidade de um suporte, ou seja, anticorpos ou antígenos solúveis são adsorvidos na superfície de micropartículas inertes para que façam a reação.

 

Aglutinação indireta ou passiva:

 Imunoaglutinação aglutinação indireta passiva

Fonte: https://pt.slideshare.net/rwportela1/icsa17-imunologia-prtica-imunoaglutinao

O teste de Coombs detecta anticorpos ligados aos eritrócitos, e a inibição da aglutinação é contrária à aglutinação direta e se faz positiva quando não há aglutinação.

Imunoaglutinaçã inibição da aglutinação teste de combs anticorpos aglutinação direta inibiçao da aglutinação

Fonte: https://pt.slideshare.net/rwportela1/icsa17-imunologia-prtica-imunoaglutinao

 

Como é feita uma reação de imunoaglutinação?

Sucintamente, a imunoaglutinação nada mais é do que uma reação de aglutinação entre um antígeno particulado com anticorpos específicos, então é um método onde adiciona-se ao soro teste, antígenos ou anticorpos, e incuba-o por 30 a 90 minutos e observa-se a formação de aglutinação (agregados) visíveis.
O teste pode ser feito em tubos, em que os agregados se sedimentam no fundo, em lâminas ou placas.

 

Para que serve o teste de imunoaglutinação?

É um método usado para diversas pesquisas, porém sua utilidade principal é na tipagem sanguínea, na detecção do fator Rh e no teste de gravidez. Mas também é muito utilizado na pesquisa de vírus, de bactérias como Salmonella, na confirmação de Sífilis, presença de infecção e diferenciação de espécies bacterianas. E por se ter diversas utilidades, tem-se diversas aplicações também.

 

Onde se aplica o teste de imunoaglutinação?

Se aplica, principalmente, em uma agência transfusional para realizar os testes pré-transfusionais, para realizar tipagem sanguínea em um recém-nascido, entre outros. Se aplica usualmente também no diagnóstico de diversas doenças, principalmente virais e bacterianas, e na conduta de um tratamento correto.

Imunoaglutinação reações sanguineas ABO

Fonte: https://salvovidas.com/entenda-os-tipos-sanguineos-aborh/

 

Quais as vantagens e desvantagens da imunoaglutinação em comparação aos outros métodos?

Existem algumas vantagens e desvantagens que são levadas em consideração na decisão da utilização da técnica.

As principais vantagens são:

– É um teste de baixo custo, que não exige muitos recursos;
– Tem boa especificidade, logo, é preciso quanto àquilo que se pesquisa;
– É de fácil realização técnica;
– Tem-se o resultado por leitura visual, sem a necessidade de equipamentos sofisticados.

 

E tem como principais desvantagens:

– É de baixa sensibilidade, então pode apresentar falsos resultados;
– A reprodutibilidade dos lotes dos reagentes é uma desvantagem também;
– A acessibilidade molecular para a interação Ag-Ac nem sempre é fácil;
– Estabilidade da ligação do Ag/Ac no suporte é fraca.

 

Referências:

http://jararaca.ufsm.br/websites/imunologia/e74ba3b662cad843f67cf867bdce6961.htmhttps://biomedicinabrasil.com.br/imunologia/teste-de-coombs-direto-e-indireto/
https://pt.slideshare.net/rwportela1/icsa17-imunologia-prtica-imunoaglutinao
https://www.fcav.unesp.br/Home/departamentos/patologia/HELIOJOSEMONTASSIER/aula-8–interacoes-antigeno-anticorpo.pdf
https://www.fcav.unesp.br/Home/departamentos/patologia/HELIOJOSEMONTASSIER/ed-7-interacoes-antigeno-anticorpo.pdf

 

Autora

 
Júlia Scandalo – Biomédica, Especialista em Biomedicina Estética.

 

Você também vai gostar de ler:

Teste de ELISA (Imunoenzimático): como é feito, quais doenças detecta e quais os tipos?

Imuno-histoquímica: o que é esse exame, como é feito e para que serve?

Imunofluorescência direta e indireta: conheça as diferenças, aplicações, vantagens e desvantagens

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.