exame-parasitologico-de-sangue-métodos-parasitológicos-lâmina-de-sangue

Exame parasitológico de sangue: entenda como, quando e porque eles devem ser feitos

21 jul
Postado por Marina Caxias Categoria: Blog

Nesse artigo vamos explicar quais os tipos de exame parasitológico de sangue. Também vamos abordar como, quando e por que eles devem ser feitos. Responderemos a seguintes perguntas:

1) O que é exame parasitológico de sangue?
2) Para que serve o exame parasitológico de sangue?
3) Quais são os tipos de exames parasitológicos de sangue?
4) Quais são as principais diferenças entre o método da gota espessa e do esfregaço delgado?
5) Como é feito o método da gota espessa?
6) Como é feito o método do esfregaço delgado?
7) Quais parasitas podem ser identificados no exame parasitológico de sangue?

Leia o artigo até o final, e saiba tudo sobre os métodos parasitológicos de sangue.

Exames Parasitológicos: Introdução

exame-parasitologico-de-sangue-gota-espessa-esfregaço-delgadoFonte: agencia.fiocruz.br


As parasitoses humanas ainda são muito prevalentes no mundo todo, principalmente nos países subdesenvolvidos, ou ditos, de terceiro mundo. Afetam, principalmente, crianças, e estima-se que no mundo existam cerca de 4,5 bilhões de pessoas doentes, e que ainda, segundo a OMS (Organização Mundial de Saúde), seja responsável por 2 a 3 milhões de óbitos no mundo.

A detecção desses parasitos ocorre, principalmente, nas fezes (por sedimentação – por exemplo, o método Hoffmann, por flutuação – por exemplo, o método de Willis e por migração), swab anal para oxiúros, esfregaço fecal espesso em celofane (técnica de Kato-Katz) e no sangue (gota espessa e esfregaço delgado), estes últimos denominados exames diretos.

Descritos como exames diretos na detecção dos parasitos, as técnicas de gota espessa e esfregaço delgado são muito simples e de baixo custo, pois necessitam que o laboratório possua apenas um microscópio e um profissional habilitado para a execução do teste. A desvantagem encontra-se no fato de que a parasitemia deva estar latente para concluir-se um diagnóstico positivo.

Neste estudo iremos nos focar apenas na detecção de parasitas no sangue.

O que é exame parasitológico de sangue?

É um exame que permite a diferenciação dos parasitos encontrados no sangue periférico a partir da análise morfológica. É possível, também, por essas técnicas diretas, avaliar a parasitemia do paciente, através da relação do número de leucócitos pelo número de parasitas.

Para que serve o exame parasitológico de sangue?

O exame parasitológico de sangue serve para identificar a presença de parasitos dentro das células do sangue, bem como no exterior.

Esses exames servem para determinar a parasitemia do paciente, identificando a relação do número de leucócitos, ou eritrócitos, pelo número de parasitos na lâmina.

Quais são os tipos de exames parasitológicos de sangue?

Gota Espessa

O exame de gota espessa é a técnica mais utilizada para o diagnóstico laboratorial da malária e continua sendo considerada como o “padrão ouro” para detecção e identificação do plasmódio envolvido.

Permite a diferenciação específica dos parasitos a partir da análise de sua coloração, da morfologia e de seus estadios de desenvolvimento no sangue periférico, devido a sua alta concentração.

É um exame simples e de eficaz diagnóstico, além do seu baixo custo. Sua técnica baseia-se na visualização do parasito, através de microscopia ótica, após coloração pelo método de Walker ou Giemsa.

 

Esfregaço delgado

A distensão fina permite a identificação das estruturas morfológicas da espécie alvo de reconhecimento nas hemácias, já que essas estão fixadas à lâmina.

Permite a determinação percentual da parasitemia, mediante a contagem de eritrócitos parasitados em 100 hemácias.

A grande vantagem quanto à gota espessa refere-se à inexistência de perdas de parasitos, pois a amostra não é submetida à desemoglobinização, por estar fixado.

Quais são as principais diferenças entre o método da gota espessa e do esfregaço delgado?

Gota espessa

Vantagens

  • A gota espessa aumenta a probabilidade de se encontrar o parasito devido à concentração maior da amostra;

  • O processo de coloração é mais rápido, por ser desemoglobinizada, possibilitando o processamento de um número grande de amostras;

  • A distribuição de leucócitos e parasitos dá-se ao acaso na amostra, possibilitando avaliar a parasitemia, relacionando o número de parasitas pelo número de leucócitos.

 

Desvantagens

  • A morfologia do parasito se modifica durante o processo de desemoglobinização, requerendo um processamento rápido e por profissional especializado para a realização da técnica.

 

Esfregaço delgado

Vantagens

  • Exame comprobatório da gota espessa, em caso de dúvida, pois por fixar as hemácias, permite um melhor estudo dessas células parasitadas pelos parasitos;

  • Por ser fixado e não submetido à desemoglobinização, a perda de parasitos é menor, quando comparada à gota espessa;

  • Permite avaliação percentual da parasitemia, realizando a contagem de 100 hemácias.

Desvantagens

  • Não é indicado como exame inicial, principalmente em pacientes com parasitemias baixas, por ter menos quantidade de sangue espalhada em uma única camada;

  • Não estabelece uma correlação adequada do número de leucócitos pelo número de parasitos, devido à distribuição ao acaso deles. Portanto, precisa-se examinar uma área extensa para detectar todas as formas parasitárias.

     

Como é feito o método da gota espessa?

O método de gota espessa é feito de acordo como descrito abaixo:

1) Colocar uma pequena gota de sangue, coletada por punção digital ou venosa;

2) Espalhar, com o auxílio de outra lâmina, o sangue sobre uma área de cerca de 1 cm2;

3) Deixar secar;

4) Corar pelo Walker ou Giemsa;

exame parasitológico de sangue gota espessa esfregaço sanguíneo lâmina de parasito parasitologia esfregaço sanguíneo esfregaço delgado

Fonte: Site SlideShare

Como é feito o método do esfregaço delgado?

Abaixo segue a técnica de preparo para o esfregaço delgado (conforme figura abaixo):

1) Colocar uma gota de sangue na extremidade de uma lâmina;

2) Pegar outra lâmina segurar por cima com a mão direita e, com uma inclinação de 45°, encostar adiante da gota;

3) Deixar a gota se espalhar pela superfície de contato das duas lâminas;

4) Puxar a gota espalhada até o final da lâmina;

5) Realizar o esfregaço;

6) Secar rapidamente;

7) Fixar a lâmina em metanol e corar pelo Giemsa.

exame parasitológico de sangue gota espessa esfregaço sanguíneo lâmina de parasito parasitologia esfregaço sanguíneo esfregaço delgado

Fonte: Site www.kasvi.com.br

A figura abaixo ilustra a diferenciação, em lâmina, das técnicas de gota espessa e esfregaço delgado.

exame parasitológico de sangue gota espessa esfregaço sanguíneo lâmina de parasito parasitologia esfregaço sanguíneo esfregaço delgado
Fonte: Site www.xctcchvwp.nautica2alocation.com

Quais parasitas podem ser identificados no exame parasitológico de sangue?

O exame parasitológico do sangue possui suas limitações, pois, por ele, só é possível identificar microfilárias, Plasmodium, Leishmania e Trypanosoma. Outro ponto desta limitação consiste no fato que a parasitemia deve estar bastante latente, pois caso contrário, o resultado pode ser um FALSO NEGATIVO.

Referências

Manual do Diagnóstico Laboratorial da Malária do Ministério da Saúde – 2005;

Estudo Científico TF-Test -Dez2009;

Site SlideShare;

Site Kasvi

Autora

Erika Soares da Silva Santos

Biomédica com atuação na área de Hemoterapia.

Você também vai querer ler

Hemograma Completo: Descubra por que esse é o exame de sangue mais solicitado nos laboratórios

Hemograma e a análise clínica dos componentes do sangue – APOSTILA GRATUITA

Exames Laboratoriais: 11 assuntos que você OBRIGATORIAMENTE deve saber!

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.