Células do sangue hematopoise sangue periférico hemácia leucócito

Células do sangue: quais são, funções e características principais

06 nov
Postado por Marina Caxias Categoria: Blog

Neste artigo vamos explicar quais são as células do sangue, suas características morfológicas e principais funções.

Conheça Curso de Hematologia Oncológica
CLIQUE AQUI!

Quais são os tipos de células do sangue?

O sangue é fundamental para a manutenção da vida e nele existem células com diversas funções para que a homeostase, ou seja, o equilíbrio seja mantido no organismo. De maneira geral nosso sangue é composto por três tipos de células:
As hemácias: possuem função principal de transportar gases oxigênio e carbônico;
Os leucócitos: as conhecidas células brancas que funcionam como um exército de defesa;
As plaquetas: possuem função importantíssima na hemostasia primária (coagulação).

tipos de células do sangue hemacias leucócitos plaquetas

(Fonte: Adaptado de Brainly)

 

Onde e como são produzidas as células do sangue?

As células sanguíneas são produzidas na medula óssea vermelha. Essa produção se inicia a partir do sexto ou sétimo mês de vida fetal, continuando pela infância até atingir a fase adulta. Antes das células sanguíneas serem produzidas pela medula óssea, alguns órgãos como saco vitelínico, fígado e baço também desempenharam essa função. Observe na imagem abaixo:

tipos de células do sangue hematopoese

(Fonte: Adaptado de Fundamentos em Hematologia – Hoffbrand)

 

E como a medula óssea sabe que precisa produzir células sanguíneas?

A medula óssea possui um ritmo natural de produção, já que estamos sempre renovando nossas células. Sob o estímulo de eritropoietina produzida pelos rins e trombopoietina produzida pelo fígado, as células tronco pluripotentes na medula óssea vermelha, se multiplicam e proliferam através de mitoses. Também existem vários fatores de crescimento que auxiliam na produção e maturação.
Uma parte das células produzidas permanece como clones da célula tronco hematopoiética, como reserva. A outra parte se diferencia nas linhagens linfóide e mielóide.
A linhagem linfóide compreende os linfócitos. Já linhagem mielóide compreende os leucócitos granulócitos, monócitos, hemácias e plaquetas.
Os leucócitos, hemácias e plaquetas não são enviados para a circulação logo após serem produzidos. Antes de irem desempenhar suas funções no sangue periférico, essas células passam por vários estágios de maturação lá na medula óssea.
Quando são encontradas células imaturas na circulação é um sinal de alerta para a investigação de algum processo patológico.
O diagrama abaixo mostra as células sanguíneas, desde a célula tronco até as células maduras.

TGO e TGP (AST e ALT) altos ou baixos: aprenda a interpretar esse exame de sangue

(Fonte: Adaptado de Educação Globo)

 

Quais ossos produzem as células sanguíneas?

Nos adultos, as células sanguíneas são produzidas na medula óssea vermelha das costelas, vértebras, do esterno, do íleo, fêmur e úmero. Conforme ficamos mais velhos a medula óssea vermelha vai sendo substituída pela amarela, composta por gordura.
Quando somos bebês, quase todos os ossos do nosso corpo contêm a medula óssea vermelha produtora de células sanguíneas.

 

Quais as características morfológicas e funções das células do sangue?

• Características morfológicas

– ERITRÓCITOS
São pequenas, arredondadas e com formato bicôncavo. Seu diâmetro é de 7,5 μm (micrômetros) e não possuem núcleo.

– PLAQUETAS
São menores que as hemácias, as plaquetas são fragmentos de megacariócitos. Possuem diâmetro de 1,5 a 3,0 μm e dispersos em seu citoplasma ou localizados centralmente, existem grânulos azurrófilos.

LEUCÓCITOS
Neutrófilos segmentados:
são células arredondadas, com 10 e 14 μm, o núcleo é segmentado apresentando lóbulos (normalmente de dois a cinco) ligados por finos filamentos de cromatina, o citoplasma é acidófilo e apresenta grânulos específicos.

Quando são jovens, os neutrófilos são chamados de bastonetes, o núcleo geralmente aparece em formato de U e não possui lóbulos separados.

Eosinófilos: possuem o mesmo tamanho dos neutrófilos ou um pouco maiores, o núcleo é lobulado, o citoplasma é levemente mais azulado do que o dos neutrófilos, possuem grânulos grandes que se coram pela eosina.

Basófilos: essas células possuem núcleo volumoso com formato irregular, possuem grânulos específicos bem grandes em seu citoplasma que acabam encobrindo em partes o seu núcleo.

Monócitos: são os maiores leucócitos encontrados no sangue com diâmetro entre 15 e 22 μm., seu núcleo apresenta-se em forma de rim e geralmente é excêntrico, a cromatina é levemente densa e pode ter 2 a 3 nucléolos, o citoplasma é claro e basofílico e possui grânulos azurrófilos bem finos.

Linfócitos: são menores do que os neutrófilos, são esféricos, com núcleo esférico, cromatina nuclear condensada, o citoplasma é escasso e basofílico.

 

Funções das células sanguíneas

ERITRÓCITOS

A principal função dos eritrócitos é o transporte de gases, oxigênio e gás carbônico. Também auxilia como tampão na regulação do pH sanguíneo.

 

PLAQUETAS
Participam da coagulação do sangue.

 

LEUCÓCITOS
Neutrófilos:
fagocitam microrganismos (bactérias e fungos).

Eosinófilos: possuem ação antiviral, participam de reações alérgicas e inflamatórias, participam do combate a parasita.

Basófilos: participam de reações alérgicas, liberam histamina e mediadores inflamatórios, participam no controle de reações imunológicas.

Monócitos: nos tecidos os monócitos se transformam em macrófagos, são células fagocitárias, matam e digerem micro-organismos (vírus, bactérias) e células velhas, são células apresentadoras de antígenos (APC’s) para os linfócitos.

Linfócitos B: se diferenciam em plasmócitos. Os plasmócitos produzem as imunoglobulinas, também conhecidas como anticorpos.

Linfócitos T: essas células orquestram as outras células do sistema imunológico. Os linfócitos T são células “estudadas” conhecem os antígenos e sabem o que fazer com cada um deles. Eles também destroem células infectadas.

Linfócitos NK: eles são responsáveis pela destruição de células tumorais e células que estão infectadas por vírus.

 

Você consegue imaginar qual é a célula que há em maior quantidade no sangue?

As células que se encontram em maior quantidade no sangue são as hemácias ou eritrócitos. A quantidade normal de hemácias é cerca de 4 a 5,4 milhões por microlitro (mm3) em mulheres, 4,6 a 6 milhões por microlitro em homens, 4,0 a 5,6 milhões por microlitro em crianças.

 

Você consegue imaginar por que elas são tão importantes?

Essas células têm uma função fundamental para manter a vitalidade dos órgãos, pois são elas que transportam o combustível da vida: o oxigênio. Sem o oxigênio nossas células sofrem danos irreversíveis e morrem.

 

Qual o tempo de vida útil das diferentes células sanguíneas?

As células sanguíneas nascem, amadurecem, desempenham sua função e morrem.
As hemácias duram cerca de 120 dias na circulação sanguíneas, vão perdendo sua integridade e passam a não desempenhar suas funções corretamente. Então o baço destrói as hemácias senescentes.
As plaquetas são fragmentos de grandes células que ficam na medula óssea, chamadas megacariócitos. As plaquetas são substituídas a cada dez dias e cerca de 30 mil plaquetas são formadas todos os dias, para cada microlitro de sangue.
Os leucócitos possuem tempos de vida diferentes uns dos outros:
Os neutrófilos segmentados têm uma vida média de seis a dez horas, os monócitos possuem uma vida média de setenta e duas horas, os eosinófilos cerca de dezoito horas, os basófilos duram em torno de um a dois dias, os linfócitos B têm vida média de sessenta dias, os linfócitos Natural Killers têm uma vida muito curta e os linfócitos T podem durar por toda a vida do indivíduo.

 

Observação: quando as células ficam velhas na circulação elas não desempenham sua função da maneira que deveriam e, por estarem senis, começam a apresentar sinais de displasia (alteração de forma). Como exemplo, presença de neutrófilos hipersegmentados em sangue periférico. Na figura abaixo, apontado pela seta vermelha, podemos observar um neutrófilo hipersegmentado com 7 lóbulos e vacúolos citoplasmáticos.

células do sangue displasia neutrófilos hipersegmentados sangue periférico vacúolos citoplasmáticos

(Fonte: Adaptado de Células Sanguíneas – Bárbara J. Bain)

 

REFERÊNCIAS

BAIN, J. B. Células Sanguíneas – Um guia prático. 5 ed. Porto Alegre: Artmed, 2016.
GUYTON, A. C.; HALL, J. E. Tratado de Fisiologia Médica. 13ª ed. Rio de Janeiro: Elsevier Ed., 2017.
HOFFBRAND, V. A., MOSS, H. A. P. Fundamentos em hematologia. 6 ed. Porto Alegre: Artmed, 2013.
https://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1516-84842010000500013&lang=pt
JUNQUEIRA, L. C. & CARNEIRO, J. Histologia Básica. 12ª ed. Rio de Janeiro: Editora Guanabara Koogan, 2013.
NAOUM, P. C.; NAOUM, F. A. Hematologia Laboratorial Eritrócitos. 2ª ed. São José do Rio Preto: Academia de Ciência e Tecnologia, 2008.
ZAGO, M. A.; FALCÃO, E. P.; Pasquini, R. Tratado de Hematologia. São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte: Atheneu, 2014.

 

Autora

 

Camilla Chinnici– Biomédica Especialista em Análises Clínicas e Toxicológicas

 

Você também vai gostar de ler:

Anemia: o que é, quais os tipos e como é feito o diagnóstico?

Mioglobina: o que esse exame de sangue pode revelar sobre sua saúde cardíaca?

TGO e TGP (AST e ALT) altos ou baixos: aprenda a interpretar esse exame de sangue

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.