Hematologia e Bioquímica Clínica Veterinária hemáciaslaboratório clínicoeritrócitosdiagnostico citologico oncologia veterinárialaboratório veterináriomedicina veterinária

Você Está Pronto Para Entender Hematologia e Bioquímica Clínica Veterinária de uma vez por todas? Confira essas dicas!

13 out
Postado por Marina Caxias Categoria: Blog

No começo da vida profissional é bem comum que haja uma área de atuação definida por nós como a correta, mas muitas vezes na prática vemos que não é como imaginamos e no meio de todo o processo se torna necessário repensar todo seu planejamento e mudar de rumo.
Uma forma de evitar toda essa perda de tempo é investindo em cursos, os cursos nos dão uma base do que será trabalhado em uma faculdade por exemplo, assim já tendo esse conhecimento prévio fica mais fácil definir se esse é realmente o ramo que você deseja trabalhar.
Na área de veterinária existem diversos cursos, um deles é o de Análises Clínicas de Exames Laboratoriais, com ele é possível aprender a entender melhor como é feito a análise de um exame veterinário e o que significam os resultados.
Os principais assuntos abordados na Análise Clínica Veterinária são a hematologia e a bioquímica. Para te ajudar a conhecer um pouco mais sobre o tema separamos algumas dicas para você.

 

CURSO DE INTERPRETAÇÃO DE EXAMES LABORATORIAIS VETERINÁRIOS

 

Hematologia Clínica Veterinária

Hematologia e Bioquímica Clínica Veterinária hemáciaslaboratório clínicoeritrócitosdiagnostico citologico oncologia veterinárialaboratório veterináriomedicina veterinária

Imagem: http://portalmelhoresamigos.com.br/

É o estudo feito na amostra de sangue, o exame mais solicitado para analisar o sangue é o hemograma. O hemograma é um exame de simples realização e baixo custo, isso o torna bem acessível.
No hemograma é possível estudar os três grupos de células em que o sangue é dividido, a série vermelha, a série branca e as plaquetas.
Na série vermelha estão presentes principalmente as hemácias (que contêm a hemoglobina), a avaliação delas é feita a partir de três valores de comparação, hemoglobina, volume globular e o volume corpuscular médio.
A hemoglobina é avaliada quanto a sua quantidade presente no sangue, ela é a responsável por se ligar ao oxigênio e transportá-lo às células do organismo por isso a sua presença no sangue é tão importante.
O volume corpuscular analisa o tamanho das hemácias e sua proporção com relação a quantidade de sangue corporal, essas variações podem indicar a presença de doenças.
O volume globular médio é uma análise dos dois primeiros itens juntos, mostra a proporção de células jovens e células velhas no sangue do animal, cada uma dessas hipóteses indicam uma condição de saúde.
Na série branca é possível analisar os componentes do sistema imunológico, neutrófilos, basófilos, eosinófilos, monócitos e linfócitos.
Os neutrófilos se alteram quando há no organismo animal a presença de alguma inflamação, ou infecção.
Os basófilos ficam alterados quando o animal tem contato com algum agente alérgico.
Eosinófilos ficam com valores alterados quando há presença de algum parasita ou agente alérgico no organismo animal.
Monócitos são alterados durante a recuperação de alguma enfermidade ou durante o tratamento com alguns medicamentos.
Linfócitos só aparecem em exames sob a presença de algum agente etiológico com o qual o animal já tenha tido outro contato.
As plaquetas são parte do sangue responsável por ajudar o sistema imunológico a combater a entrada de agentes nocivos e também pela coagulação sanguínea.
Alteração nos seus valores podem indicar a presença de hemorragias, inflamações, feridas ou até de tumores.

No estudo dos componentes do sangue (além do hemograma) é possível detectar diversas doenças como diabetes, colesterol alto, doenças renais, infecções bacterianas, alergias, problemas de coagulação.
Todos esses são de extrema importância para fechar um diagnóstico mais preciso e tratar as causas da forma correta.

 

Bioquímica Clínica Veterinária

Acompanhar os níveis de alguns componentes do corpo como metabólitos e enzimas é de extrema importância pois eles são responsáveis por ajudar no acompanhamento da evolução de alguns tratamentos e na conclusão de diagnósticos.

Abaixo vamos elencar as dosagens mais comuns de serem solicitadas em exames de sangue.

Creatinina: é sintetizada a partir do metabolismo dos músculos, tem excreção renal, quando em grandes concentrações pode indicar problemas renais, doenças inflamatórias ou grande catabolismo muscular.
Uréia: A uréia é sintetizada no fígado a partir do metabolismo hepático, seu aumento pode significar dificuldades de excreção por vias renais, ou seja, podem existir lesões nos rins ou aumento do catabolismo protéico, seja por dieta hiperproteica ou por degradação muscular.
Fosfatase Alcalina: É uma enzima sintetizada no fígado, rins e algumas outras partes do corpo animal, suas taxas podem ser alteradas pela presença de lesão no fígado ou colestase ou por drogas como glicocorticoides e anticonvulsivantes.
Bilirrubina: É produzida do metabolismo da hemoglobina, pode apresentar valores aumentados por conta da presença de lesões hepáticas ou cálculos biliares. Com essa amostra é preciso cuidado com a incidência de luz, esse contato direto pode causar degradação das bilirrubinas.
Albumina: Principal proteína presente no sangue, a hipoalbuminemia só é observada em condições específicas de perda da função hepática, também pode aparecer diminuída por hemorragias ou desnutrição.
Amilase sérica: Pode ser encontrada principalmente no pâncreas e intestino delgado, problemas como pancreatite ou obstrução dos ductos pancreáticos pode causar aumento nos níveis de amilase sérica.
Lipase sérica: É encontrada no pâncreas, mucosa gástrica e intestinal e tecido adiposo, seus valores são alterados na presença de doenças como pancreatite aguda.
Glicemia: A glicemia mede a quantidade de glicose disponível no sangue, valores altos ou baixos, ou seja, hipoglicemia ou hiperglicemia podem causar danos aos animais. As causas da hipoglicemia são falta de apetite e problemas de absorção, e da hiperglicemia é o diabetes, pancreatite, hipertireoidismo.
Triglicérides: É o tipo de lipídio mais presente no tecido adiposo, é o responsável pela reserva de gordura do organismo animal. Seu aumento está relacionado com má absorção, problemas hormonais e o metabolismo do fígado.
Colesterol: É precursor de diversos hormônios e também utilizado pelos ovários e pelos testículos, também faz parte da membrana celular.

Diante de todas essas informações é importante analisar seu gosto pela bioquímica veterinária, que evidentemente é de extrema importância, mas também o amor pelos animais e ter condições de trabalhar com preparo de amostras como de sangue, urina e fezes.

Se você se interessou pelo assunto e acha que tem essas características, Clique Aqui e se inscreva agora mesmo para o Curso de Interpretação de Exames Laboratoriais Veterinários do IBAP e dê um novo rumo à sua carreira.

Você também vai gostar de ler:

6 Perguntas Sobre Interpretação de Exames Laboratoriais Veterinários Que Você Sempre Quis Fazer!

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.