Coloração de Gram

02 jul
Postado por Categoria: Blog

É uma coloração amplamente empregada na microbiologia para identificar alguns grupos bacterianos.

A definição para a coloração de Gram pode ser dita como uma técnica que permite identificar grupos específicos bacterianos através da sua estrutura. A parede celular da bactéria é composta de peptideoglicano, se a parede celular deste microrganismo for espessa  será classificada como Gram positivas; já as bactérias que possuem parede celular delgada são chamadas de Gram negativas.

Gram foi o pesquisador que conseguiu desenvolver uma técnica para diferenciar esses dois tipos de parede celular.

Vamos supor que tenha sido dado a você duas bactérias A e B. Você foi informado de que as duas possuem parede celular diferente, uma é gram positiva e a outra é gram negativa. Mas, fazendo um esfregaço e visualizando a lâmina simplesmente, não será possível dizer qual das duas é gram positiva ou negativa. Porque quando é analisado o esfregaço sem nenhuma coloração, não é possível identificar o grupo bacteriano.

A coloração de gram promove essa diferenciação. Dependendo da estrutura da parede bacteriana, teremos cores diferentes da bactéria. O resultado é o seguinte: se a bactéria for gram negativa, a coloração dele será mais voltada para o vermelho, os corantes não fixam na parede da bactéria e um contra corante utilizado fixa na parede, mostrando que ela é mais delgada. Já as bactérias que são gram positivas ficam em uma coloração que tendem ao roxo, isso porque o corante inicial se incorpora na estrutura da parede bacteriana. Dessa forma, você pode ver qual bactéria é gram positiva e qual é gram negativa.

Isso é muito importante nas análises clínicas porque existem abordagens diferentes para tratar bactérias através da antibioticoterapia.

 

Quais reagentes são utilizados?

Gram01

  • Violeta de genciana
  • Lugol
  • Álcool
  • Fucsina
  • e água para lavagem (remoção dos reagentes)

 

 

Preparo da coloração de gram:

coloração-gram

Imagem: RenyLab

1°) Aplicação do corante violeta genciana

Trata-se de um corante violeta. Antes de utilizá-lo, você precisará fixar as bactérias na lâmina, esse processo normalmente é feito da seguinte forma: pinga-se uma gota da cultura bacteriana sobre a lâmina e espalha-se com uma haste de inoculação. Espera-se secar e passar a lâmina suavemente na chama do bico de Bunsen 3x. Você deve esperar esfriar e aí sim cobrir a lâmina com violeta genciana e deixar por 1 minuto e lavar.

Depois que você deixar agir por 60 segundos, as bactérias que tiverem a parede celular mais espessa, terão uma coloração forte já nesse início. Se a parede não for espessa, essa coloração não irá grudar e já irá sair na primeira lavagem.

Então essa primeira coloração já será um diferencial para identificar as bactérias gram positivas.

2°) Aplicação do lugol

O segundo passo é a aplicação do mordente, o lugol. Você irá aplicá-lo sobre as bactérias para fazer com que o corante violeta genciana se fixe na parede das bactérias. Você também irá deixá-lo agir por 1 minuto.

3°) Descoramento com álcool

Nessa fase, você irá descolorir a lâmina com álcool 95%. As bactérias gram positivas que incorporaram o corante violeta genciana vão incorporar esse corante, mas as bactérias que não são gram positivas perdem essa coloração nessa etapa com a descoloração com álcool. Você deixa 20 segundos e depois lava com álcool.

Nesse momento você terá uma lâmina que já tem bactérias gram positivas coradas, mas as gram negativas estão com um roxo bem fraquinho.

 

4°) Aplicação da fucsina (ou safranina)

Agora é hora de usar o contra-corante, a fuscina. Ela irá corar as bactérias gram negativas que até o momento não estão coradas. Obviamente as bactérias que foram coradas com violeta genciana e fixadas com lugol não serão coradas. Sendo esse passo crucial para diferenciação de gram negativas.

Você deixará sobre a lâmina por 20 segundos e depois lavará com água e deixará secar.

Depois, poderá ver no microscópio. E você verá a seguinte diferenciação: gram positivas em tom mais roxo, e gram negativas em tom mais vermelho.  Como na imagem a seguir:

 

coloração de gram

Por: Marina Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Artigo pertence a série de artigos sobre Microbiologia. Você pode ler o próximo artigo clicando aqui

PRÓXIMO ARTIGO…

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.