Sorologia NAT em Hemoterapia e Doação de Sangue

31 ago
Postado por IBAP Cursos Categoria: Blog

Todos os anos, muitas vidas são salvas devido a procedimentos terapêuticos como transfusões e transplantes. No entanto, junto com os benefícios que esses processos trazem, vem também os riscos, como a transmissão de doenças através do sangue aos pacientes. Doenças essas, que podem trazer danos graves ao paciente receptor, inclusive podem ser fatais. Um agravante é que muitas pessoas acabam por descobrir que adquiriram alguma patologia após receberem sangue, e um exemplo disso é a hepatite C. Além disso, muitas doenças são assintomáticas nos doadores, o que também dificulta o seu diagnóstico antecipado.

Tendo em base as prevalências sorológicas, é estimado que aproximadamente 2 bilhões de pessoas no mundo tenham hepatite B e 300 milhões de indivíduos apresentem infecção crônica por meio desse vírus. Dessa maneira, existe um total de 600 mil mortes que acontecem direta ou indiretamente por essa infecção. Só no Brasil, estima-se que cerca de 800 mil pessoas possuam o vírus da hepatite B.

Para prevenir esse tipo de situação foram criados os testes sorológicos e o NAT – Teste de Amplificação de Ácidos Nucleicos, que serve para complementar esse outro tipo de exame. Este instrumento de avaliação foi criado inicialmente para detectar ácidos nucleicos do vírus da imunodeficiência humana (HIV) e do vírus da hepatite C (HCV) nas bolsas de sangue encaminhadas à transfusão, com a finalidade de verificar o vírus de forma precoce em relação aos testes sorológicos. Hoje em dia, já é possível identificar, também, o vírus da hepatite B (HBV), devido às estatísticas apresentadas acima, sendo mais uma conquista da Associação Brasileira de Hematologia, Hemoterapia e Terapia Celular (ABHH).

Desde a década de 90 em países da Europa, EUA, Austrália e Japão, por exemplo, o teste NAT já estava sendo utilizado com o objetivo de indicar precocemente a presença de marcadores do vírus HIV e HCV no sangue de seus doadores. Hoje, já é uma técnica com muita adesão em vários países, por ser tão efetivo e completo, abrangendo não apenas os vírus HIV e HCV, como também o HBV, prevenindo uma série questões em relação à doação e transfusão de sangue.

(https://www.unasus.gov.br/noticia/teste-nat-de-bio-manguinhos-passa-ser-obrigatorio-em-bancos-de-sangue-do-pais)

Com o NAT é possível descobrir a presença de um marcador do próprio vírus no sangue do doador e não a detecção de anticorpos em si, que requer muito mais tempo, tendo em vista o período que leva até a resposta do sistema imunológico começar a exercer sua função de forma adequada. Este teste tem como principal objetivo, buscar vestígios da existência do RNA ou DNA viral, por meio de uma plataforma automatizada com uma alta capacidade de processamento com grande rastreabilidade e sensibilidade para indicar HIV, HBV e HCV, permitindo, assim, uma grande antecipação do resultado e mais agilidade no processo de transfusão.

Com este exame, a janela imunológica, que é o tempo que leva entre a contaminação do agente infeccioso, até o momento em que esse agente possa ser identificado (reativo) em um teste sorológico, é bastante reduzida. Enquanto os testes sorológicos comuns demoram de 22 a 82 dias para constatar a presença de anticorpos, a sorologia NAT leva em média, de 11 a 23 dias. Se o doador estiver na fase de janela imunológica inicial e não tiver o vírus descoberto, irá transmitir ao receptor, e isso se torna dificultado com a utilização do NAT.

 

Metodologia

A metodologia do teste NAT se baseia na amplificação do RNA e do DNA por Reação em Cadeia de Polimerase – PCR em tempo real, onde, baseado em pequena quantia de cópias de ácido nucleico, é possível constatar de forma precoce a existência de algum agente infeccioso. É um teste que possui alta sensibilidade, que significa uma alta capacidade de identificar o contato com o agente infeccioso, em pessoas de fato infectadas. É um sistema totalmente automatizado, informatizado de rastreabilidade das amostras e dos reagentes, e registrado na ANVISA, FDA e CE-mark.

Funciona com mini-pools de 6 doações, e no momento que o mini-pool é reativo, ocorre a separação e é feito o teste individual de todas as 6 reações que o pool é composto. Seu processo dispõe de 3 etapas:

  1. Preparo das amostras de sangue e pooling;
  2. Retirada do ácido nucleico viral e sua captura ou purificação;
  3. Amplificação do RNA ou DNA específico e a identificação do resultado amplificado.

 

Importância e benefícios do Teste de Amplificação de ácidos nucleicos – NAT

Além da redução da janela imunológica, como comentado anteriormente, promove ainda uma maior segurança no procedimento de transfusão, tranquiliza os receptores quanto a agentes infecciosos e doenças transmissíveis, diminui restrições quanto à doação de sangue, e muitas vezes, ainda auxilia na descoberta de alguma patologia, ainda em processo de incubação, do próprio doador.

http://www.brasil.gov.br/saude/2016/05/novo-manual-da-orientacoes-sobre-o-tratamento-de-talassemia/transfusao_de_sangue.jpg/view

Como observamos, o NAT se baseia no princípio de que o vírus pode ser detectado por outros indicadores, como os ácidos nucleicos, antes de começarem a produzir anticorpos. No HIV, por exemplo, que inicia sua replicação no organismo aproximadamente 10 dias após a infecção, esse teste permite identificar a partir daí seu material genético, no caso, o RNA. Já sobre o HCV (vírus da Hepatite C), a estimativa é que por volta de 5% da população apresentem RNA positivo no soro com anticorpos negativos. E esses tipos de constatações, apenas a sorologia NAT em hemoterapia e doação de sangue, pode detectar com antecedência necessária, antes da transfusão ou uso de sangue.

Tornou-se obrigatório o uso do teste de ácido nucleico – NAT em todas as bolsas de sangue coletadas pelas unidades de banco de sangue do Brasil sejam elas privadas ou públicas. Essa medida foi declarada no dia 13 de fevereiro de 2014, onde todas as instituições coletoras de sangue, por lei, ficaram responsáveis por efetuar o exame em todo o sangue que se tornava disponível a transfusões, caso contrário, seria efetuada a aplicação de multas às instituições que não seguirem esta nova normativa. A vigilância sanitária, por meio das prefeituras e órgãos públicos, deve estar em constante monitoramento desses locais, se certificando da realização correta do procedimento.

Dessa forma, não restam dúvidas de que a sorologia NAT, é um item de extrema importância para prevenção e proteção contra doenças transmissíveis, beneficiando tanto os doadores de sangue, quanto os receptores do mesmo, sendo essencial sua execução nos centros de hemoterapia e doações de sangue.

Quer saber mais sobre a Sorologia NAT em Hemoterapia e Doação de Sangue, clique na imagem abaixo e acesse o curso no IBAP.

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.