Ponto certo para o diagnóstico correto de tipos de câncer e outras doenças está mais perto de se tornar realidade graças a sensíveis biosensores

03 jun
Postado por Categoria: Blog

Um dispositivo óptico compacto que pode detectar de forma sensível e rápida biomarcadores na urina foi desenvolvido por pesquisadores da Agency for Science, Technology and Research (A*STAR – Agência de Ciência, Tecnologia e Pesquisa) em Cingapura. Ele tem a promessa para o desenvolvimento de diagnósticos simples de pontos de atendimento de câncer e outras doenças.

MicroRNAs são uma classe recentemente descoberta de curta duração (cerca de 19 a 24 nuclídeos de comprimento) fragmentados de RNAs não codificados, que são biomarcadores úteis para o diagnóstico de várias doenças, incluindo doenças cardíacas e de alguns cancros. Uma vez que eles são surpreendentemente bem preservados em fluidos, tais como urina e sangue, a sua detecção é bem mais adequada para um método rápido.

Mi Kyoung Park, do A*STAR Institute of Microelectronics (Instituto de Microeletrônica), ao lado dos seus colegas de trabalho, desenvolveram um biossensor fotônicos de silício que pode detectar pequenas mudanças na fase de um feixe de luz provocada por hibridação entre um uma sonda imobilizada de DNA tendo como alvo uma amostra de microRNAs.

Um feixe de raios laser percorre uma guia de onda, que se divide em dois ramos: um braço sensor onde a luz interage e outro braço como uma amostra de referência. Os dois feixes de luz, em seguida, se unem um no outro. A ligação entre a sonda de DNZ e o alvo de microRNA altera a fase da luz que viaja no braço sensor, enquanto a fase pertencente ao braço de referência permanece inalterada. A quantidade de alvo microRNA na amostra pode ser determinada através do monitoramento da variação de intensidade do feixe de saída.

O dispositivo tem muitas vantagens práticas, Park explica: “Existem métodos para detectar microRNAs, mas eles são demorados e requerem máquinas pesadas, que limitam a sua utilidade na prática clínica”, diz o cientista. “Isso nos inspirou a desenvolver um dispositivo simples e eficiente de ponto de atendimento para a detecção de microRNAs.” O dispositivo também é altamente sensível e, portanto, não necessita de rotulagem ou de amplificação; ele pode fornecer resultados dentro de 15 minutos, eliminando a necessidade de que os pacientes retornem para os seus resultados; e que pode potencialmente detectar até 16 alvos em um teste.

Para demonstrar o sistema, Park e sua equipe usaram para detectar dois tipos de microRNAs em amostras de urina de três pacientes com câncer de bexiga em estágio final; os testes envolveram uma única reação e levou 15 minutos. Os níveis de microRNA dos pacientes divergiam muito daqueles pertencentes a indivíduos saudáveis.

Os investigadores estão animados sobre o potencial do dispositivo. “O sistema pode ser expandido para detectar um número de microRNAs de espécies diferentes e deve ser útil para uma variedade de aplicações clínicas sobre os pontos de atendimento”, concluiu Park.

A equipe está atualmente trabalhando para aumentar a sensibilidade do dispositivo.

Os pesquisadores filiados A*STAR, ao qual contribuíram para essa pesquisa, pertencem ao (Institute of Microelectronics) Instituto de Microeletrônica.

Fonte: www.sciencedaily.com

Por: Marina Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.