PCR-Based tem rápida detecção Mycobacterium tuberculosis no sangue de pacientes imunocompetentes com tuberculose pulmonar

18 maio
Postado por Categoria: Blog

Um teste de PCR (exame de sangue) com base na sequência de inserção IS1081 foi desenvolvido para detectar Mycobacterium tuberculosis e organismos complexos no sangue periférico. O método foi aplicado em amostras de sangue de indivíduos imunocompetentes com tuberculose pulmonar localizada. Sete das 16 (43,75%) amostras de sangue foram consideradas positivas para os que circulam cópias de DNA de M. tuberculosis.

Os ensaios de PCR-Based mostraram-se promissoras para a detecção de micobactérias em amostras clínicas. Estudos anteriores de PCR-Based sugeriam que o PCR com células mononucleares de sangue periférico poderia ser útil para os diagnósticos para aqueles que são substancialmente imunocomprometidos, devido a condições como a AIDS ou abuso de álcool, desordens renais, diabetes mellitus, etc. Verifica-se que mais dados são necessários para determinar a eficácia do ensaio de PCR-based no sangue para o diagnóstico da tuberculose, especialmente em pacientes imunocompetentes.

 

O exame clínico:

PCR LABEL.100_0879CROP

As amostras de sangue dos 16 pacientes com tuberculose pulmonar foram recolhidas no TB Hospital District, Karnal, na Índia. Todos os 16 pacientes eram HIV negativo, sem histórico de qualquer condição imunossupressora, como o transplante renal, diabetes mellitus, alcoolismo, radioterapia e câncer. Estes pacientes não foram hospitalizados e vinham recebendo terapia antituberculose começando 2 semanas após a confirmação do diagnóstico baseado em acid-fast-bacillus-positive e radiografia de tórax. Dez amostras de sangue foram coletadas de indivíduos saudáveis ​​da mesma faixa etária para comparação.

Os protocolos de PCR foram cuidadosamente normalizados no que diz respeito à sensibilidade e especificidade por uma série extensiva de estudos de amostras enriquecidas com o DNA genómico de células pura e M. tuberculosis para a administração no sangue de bovinos e de cabra.

Todos os pacientes do estudo tinham sido submetidos a terapia antituberculose por aproximadas duas semanas. Essa poderia ser uma razão para a baixa sensibilidade (<50%) do ensaio. No entanto, os resultados de PCR em conflito com os achados anteriores sugeriam que as células CD4 desempenhavam um papel fundamental na contenção da disseminação hematogênica, e, portanto, métodos de PCR e cultura à base de sangue eram de menor importância no caso de pacientes HIV-negativos e do HIV-positivo com contagens de CD4 média de mais de 200 células / ml.

A observação d DNA de M. tuberculosis no sangue de pacientes incluídos no estudo sublinhavam os fatos de que a incidência de disseminação hematogênica era subestimada em pacientes diagnosticados HIV-negativos, e que valia a pena dependo dos ensaios de PCR à base de sangue com base em sequências alvo de múltiplas cópias de diagnóstico rápidos de tuberculose usando o sangue como uma conveniente amostra clínica.

 

Conclusão:

Os estudos demonstraram viabilidade no uso de ensaios de PCR-Based, que foi mais sensível do que os protocolos de PCR anteriores para o diagnóstico de tuberculose em pacientes imunocompetentes. Estes resultados suportam a hipótese de que a fuga de bacilos da tuberculose a partir de espaços alveolares para a corrente sanguínea pode ser mais frequente no caso de pacientes imunocompetentes do que se pensava anteriormente.

 

Fonte: jcm.asm.org

 

Por: Marina da Silva Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.