O álcool está associado ao risco de alérgica perene

21 maio
Postado por Categoria: Blog

De acordo com um estudo dinamarquês de 2008, que avaliou os sintomas de rinite alérgica perene em 5.870 mulheres adultas e jovens, pode haver uma ligação entre o consumo de álcool com o aumento do risco de ter rinite alérgica perene. O estudo, publicado na edição de julho da Clinical and Experimental Allergy, apresentou que o risco aumentou de 3% para cada bebida alcoólica ingerida semana. Em contraste, os autores não observaram qualquer aumento no risco de rinite alérgica sazonal de acordo com a ingestão de álcool.

A rinite alérgica (AR – Sigla em inglês) é um distúrbio respiratório que costuma afetar mais ou menos de 10% a 40% da população mundial, e, ao longo das últimas décadas, a prevalência de rinite nos países do ocidente aumentaram consideravelmente. O consumo de álcool é parte do estilo de vida do povo ocidental, por causa disso e de outros fatores foi proposto que o consumo de álcool possa a vir a ser um dos fatores que contribuem para o aumento dos sintomas da rinite alérgica, especialmente por que o álcool é conhecido com um gatilho de reações relacionadas a hipersensibilidade, e há evidências de que ele influencia a imunidade do sistema.

rinite-alergica_01

As 5.870 mulheres estudadas tinham idades entre 20 e 29 anos, elas eram livres de rinite alérgica sazonal e perene no início do estudo, ou seja, não havia diagnóstico da doença. Elas foram questionadas sobre os diferentes hábitos de vida, incluindo sobre a ingestão de álcool de modo geral, medindo em doses por semana (ou seja, copos de vinho, garrafas de cerveja). Depois de um período de sete a nove anos, as mulheres foram novamente contatadas e cerca de 831 mulheres haviam desenvolvido rinite alérgica sazonal e mais 523 dessas mulheres tinham desenvolveram rinite alérgica perene, 14% e 9%, respectivamente.

Os autores do estudo observaram uma tendência geral que, quanto mais álcool as mulheres relataram que bebiam, maior era o risco de desenvolver rinite alérgica perene. Por exemplo, mulheres que relataram beber mais de 14 bebidas por semana eram 78% mais propensas a desenvolver rinite alérgica perene do que as mulheres que relataram ingerir menos.

“Nosso estudo foi realizado com apenas participantes do sexo feminino, e deve-se reconhecer que não há evidência para sugerir que as mulheres podem ser mais suscetíveis a alguns dos efeitos geneticamente prejudiciais do álcool do que os homens, talvez devido a diferenças na gordura a proporção de água ou massa hepática em relação ao peso corporal “, disse o principal autor Dr. Janne Tolstrup, do Instituto Nacional de Saúde Pública, na Dinamarca. “Por isso, seria interessante examinar as diferenças de género nos possíveis efeitos do álcool sobre o desenvolvimento da rinite”.

“Outro achado interessante do estudo foi que os fumantes foram encontrados para ter um risco diminuído de rinite alérgica sazonal, sem alteração no risco de rinite alérgica perene”, disse Tolstrup. “Também descobrimos que, se um ou ambos os pais tinham asma, o participante era mais propenso a ter rinite alérgica perene e isso foi agravado em mulheres que ingeriam mais de 14 bebidas por semana”, concluiu.

Fonte: www.eurekalert.org

 

Por:  Marina Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.