sapatos-para-trabalhar

Mulheres que fazem escolhas ruins de sapatos para trabalhar podem sofrer com dores nos pés após o envelhecimento

30 maio
Postado por Categoria: Blog

O que você presa na hora de escolher um sapato feminino para trabalhar: beleza ou conforto? Um estudo publicado em 2009 determinou que mulheres que fazem más escolhas de sapato no início da vida sofrem com dores nos pés posteriormente. A pesquisa revelou que os homens não sofrem das mesmas dores, pois os calçados utilizados são bem diferentes.

Os dados norte-americanos revelaram que os sintomas no pé e nos dedos estão entre as 20 maiores razões para idosas entre 65 e 74 irem ao médico. Nos EUA, a dor do pé é considerada um sintoma muito comum, ocorrendo em condições como o da artrite reumatoide, diabetes e gota ou entorses, distensões musculares, contusões e fraturas. Estudos anteriores determinaram uma correlação entre o calçado impróprio e dor no pé, mas a nova pesquisa focou em amostras de pacientes pequenos e em doenças específicas para o estudo.

Os pesquisadores da Boston University School of Public Healthe e Institute for Aging Research at Hebrew SeniorLife, inscreveram 3.372 participantes no Framingham Foot Study. Os participantes foram obtidos a partir de 2 grandes amostras populacionais de residentes de Framingham, Massachusetts. O primeiro grupo era parte do Framingham Study Original Cohort (formado em 1948) e do Framingham Offspring Cohort (formado em 1972) que foram originalmente estudados para fatores de risco de doença cardíaca. O segundo grupo era uma nova amostra da população derivada de dados do censo e incluía indivíduos que possuíam ao menos 50 anos de idade e ambulatorial que foram acrescentados para aumentar a participação das pessoas de menor idade.

BOA_SAPATO-TRABALHO

O Framingham Foot Study avaliou 1.472 homens e 1.900 mulheres entre 2002 e 2008. Os participantes foram perguntados se eles sofriam de dor ou rigidez em um ou ambos os pés. Os dados sobre as áreas específicas de dor nos pés foram identificados no prego, antepé, retropé, calcanhar, arco do pé, e na bola do pé. Os participantes forneceram informações sobre os calçados atuais e passados em cinco faixas etárias: 20-29 anos, 30-44 anos, 45-64 anos, 65-74 anos, e 75+ anos. Os calçados foram classificados como bom (sapatos de baixo risco, incluindo sapatilhas esportivas e casuais), médio (meados sapatos de risco, tais como sapatos de hardware ou de sola de borracha, sapatos especiais e botas de trabalho), e sapatos pobres (calçados de alto risco que carecem de apoio e soar estrutura, incluindo sapatos de salto alto, sandálias e chinelos).

De acordo com o estudo, 25% dos participantes relataram dor no pé generalizada na maioria dos dias, com 19% dos homens e 29% das mulheres que se inserem neste subtipo. “Nas mulheres, verificou-se um aumento do risco entre dor no retropé e na sola do pé”, disseram os autores. O estudo revelou que apenas uma pequena percentagem (2%) dos homens usavam sapatos pobres, assim o tipo de sapato não é um fator importante para o desenvolvimento de dor no pé em homens. “Embora sejam necessárias mais pesquisas, as mulheres jovens devem fazer escolhas cuidadosas sobre o seu tipo de sapato para evitar dores mais tarde na vida, ou realizar exercícios de alongamento para aliviar o efeito de saltos altos sobre a dor do pé”, alertaram os pesquisadores.

Fonte: www.eurekalert.org

Por: Marina Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.