Hematologia Forense – Como analisar manchas de sangue

07 jun
Postado por IBAP Cursos Categoria: Blog

 

A Hematologia Forense é uma especialidade da biologia forense que estuda e analisa gotas, salpicos e manchas de sangue em busca de informações como, por exemplo: velocidade, origem do sangue e o seu ângulo de choque; número de golpes ocorridos; espécie de arma (que causou a hemorragia); movimentação e posicionamento (agressor e vítima); o momento em que o crime aconteceu; sequência cronológica dos ferimentos.

Esse ramo pode ser subdividido em duas áreas de atuação – Hematologia Forense Identificadora e Hematologia Forense Reconstrutora. A primeira busca descobrir todas as características do sangue presente na localidade do crime (DNA, tipo, sexo etc.) e se o vestígio comprova que o sangue é humano; enquanto a segunda, investiga a forma como o crime ocorreu, os meios e a dinâmica envolvida.

 

Entendendo a hematologia forense

Para entendermos melhor sobre como são avaliadas as manchas de sangue, precisamos saber qual é a sua constituição, que é: plasma sanguíneo (nutrientes, substâncias dissolvidas e água), plaquetas (participam da coagulação do sangue), glóbulos brancos (atuam na defesa do organismo) e glóbulos vermelhos (que tem como função o transporte de oxigênio e gás carbônico).

Os glóbulos vermelhos permitem ao profissional da hematologia forense, identificar e relacionar a amostra de sangue ao indivíduo pertencente, por meio de marcadores existentes nesse componente sanguíneo, capazes de determinar o grupo sanguíneo correto. Para isso, são realizadas comparações a partir de diversos testes e exames feitos nos suspeitos.

Além disso, a partir da coagulação do sangue, é possível fazer uma estimativa do tempo decorrido após a morte, com base no sangue encontrado na cena do crime. Essa coagulação acontece quando as plaquetas existentes no sangue, revestem a parede de um vaso sanguíneo lesado, de forma a estancar a hemorragia e desenvolver o reparo do vaso que foi danificado. Esse processo começa, geralmente e se for uma lesão hemorrágica pequena, 20 segundos após acontecer à lesão, e demora cerca de 5 a 15 minutos até a coagulação completa do sangue.

A Hematologia forense é de extrema relevância na solução de casos, fazendo uso da ciência para fornecer evidências exatas ao perito criminal. Há casos onde os únicos indícios são manchas de sangue, e elas permitem a essa ciência, recriar a cena criminal, por meio de, principalmente, localização, ângulo, cor e forma do sangue.

 

Técnicas de hematologia forense

Duas técnicas e equipamentos empregados na identificação das manchas de sangue são: Luz forense – através da emissão de luz ultravioleta em diferentes comprimentos de onda, atua no intuito de evidenciar manchas biológicas invisíveis a olho nu e o luminol – que reage com vestígios de sangue, gerando o fenômeno da quimiluminescência que pode ser observado com o auxílio da luz forense.

Esses métodos próprios da hematologia forense, auxiliam no descobrimento de resíduos microscópicos de sangue mesmo estando ocultos, onde não é possível identificar visualmente, geralmente pelo fato de terem sido modificados por lavagem ou submetidos à alguma substancia ou reagente químico, na tentativa de mascarar o crime ocorrido.

Sendo assim, às vezes, as manchas de sangue com uma pigmentação mais escura, embora pareçam, não representam uma análise mais precisa, pois, as características biomoleculares desse vestígio podem ter sido alteradas por fatores como: lavagem, umidade ou exposição solar.

Quer saber mais? Conheça nossa pós-graduação em perícia criminal!

 

 

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.