febre aftosa

Epidemiologista publica modelo sobre o impacto de um surto regional de febre aftosa

30 maio
Postado por Categoria: Blog

Pesquisadores da Kansas State University College of Veterinary Medicine apresentaram modelo que avalia o impacto e o controle de um foco em potencial de febre aftosa no gado.

Mike Sanderson, professor de epidemiologia do departamento de medicina e diagnósticos de patologia da faculdade, e Sara McReynolds, ex-estudante de graduação de Sanderson, publicaram os resultados de suas pesquisas na edição de dezembro de 2014 na revista Preventive Veterinary Medicine.

Os pesquisadores desenvolveram modelos de simulação para avaliar o impacto de tipos de rebanho de gado e de vacinação em surtos da febre aftosa usando o modelo da propagação de doenças animais da América do Norte. Nesse estudo, os potenciais focos de febre aftosa, foram simulados para comparar diferentes estratégias de vacinação a um cenário só de despovoamento nos EUA.

Com base em dados do Departamento de Agricultura da National Agricultural Statistics Service, uma população simulada de 151.620 cabeças de gado caracterizadas por latitude e longitude, tipo de produção e tamanho do rebanho nos EUA. Os dados para o estudo foram gerados através do levantamento de produtores de gado no Kansas e no Colorado, a fim de determinar a taxa de contato entre as populações de rebanho.

“Os resultados desse estudo vão fornecer informações sobre os impactos dos protocolos de controle de doenças, que podem ser úteis na escolha dos métodos de controle para ser usado pela indústria do gado e pelos profissionais de saúde animal para cumprir a meta de controle rápido e eficaz de erradicação “, disse Sanderson. “O desafio por de trás deste projeto é que você não quer destruir a indústria pecuária no processo de tentar destruir o vírus. Você tem que controlar o vírus de uma forma que permite que a indústria sobreviva de forma tão eficaz quanto possível”.

Sanderson disse que o estudo de modelagem vai apoiar o projeto subsequente.

“Temos mais trabalho em curso no que é chamado de “Plano Seguro de Fornecimento de Bife”, que é um projeto em colaboração com a Iowa State University”, disse Sanderson. “O nosso trabalho de modelagem também está sendo utilizado na Kansas State University para um modelo econômico desenvolvido por Ted Schroeder, um distinto professor de marketing de gado do departamento de economia agrícola.”

McReynolds formou-se na Kansas State University como um médico de medicina veterinária e fez mestrado em saúde pública em 2008, e conquistou o doutorado em patobiologia em 2013. Ela é atualmente a assistente veterinária no estado da Dakota do Norte.

“Nossos resultados só dão uma indicação do que poderia acontecer na indústria de gado quando na sequência de controle de protocolos específicos”, disse McReynolds. “O controle do movimento de animais e boa biossegurança para limitar a transmissão da doença entre explorações será muito importante. Mais pesquisas seriam necessárias para entender melhor a resposta óptima a um surto de febre aftosa na região central dos Estados Unidos da América, bem como em operações de gado em outras partes do país”, concluiu McReynolds.

Fonte:  www.eurekalert.org

Por: Marina Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.