Circulação Extracorpórea (Perfusão): Guia de Carreira para o Perfusionista

28 abr
Postado por IBAP Cursos Categoria: Blog

Com salários que podem ultrapassar R$ 8.600,00/mês, a carreira de Especialista em Perfusão está em grande evidência no mercado.

No post de hoje nós preparamos um guia de carreira para o perfusionista!

Se você quer entender melhor como é o mundo da perfusão, leia até o final o post de hoje e entenda:

1) O que é Perfusão ou Circulação Extracorpórea (CEC)?

2) Como funciona a máquina de circulação extracorpórea (CEC)?

3) Quais as aplicações da Perfusão Extracorpórea?

4) Quais são as atribuições do perfusionista?

5) Qual o mercado de trabalho em Circulação Extracorpórea (Perfusão)?

6) Quanto ganha um Especialista em Circulação Extracorpórea (Perfusionista)?

7) Quais os primeiros passos para iniciar a carreira de Perfusionista?

8) Como se Especializar em Circulação Extracorpórea (Perfusão)?

 

Está preparado para circular pelo mundo da perfusão? Então vamos lá! 

1) O que é Perfusão ou Circulação Extracorpórea (CEC)?

Os maiores avanços da cirurgia cardíaca ocorreram após a Segunda Guerra Mundial. Um passo importante para o desenvolvimento dessa especialidade médica foi a invenção de um equipamento capaz de manter o paciente vivo, mesmo com o coração parado, enquanto o médico realiza a cirurgia em uma área limpa de sangue. O método da Circulação Extracorpórea foi uma grande inovação para a Medicina.

A Circulação Extracorpórea (CEC) faz o papel do coração e dos pulmões durante uma cirurgia. Com este equipamento, o médico mantém a circulação e oxigenação do sangue enquanto realiza o procedimento cirúrgico. A primeira operação realizada com o aparelho de circulação extracorpórea ocorreu, nos Estados Unidos, em 1953. O equipamento foi utilizado, durante 26 minutos, enquanto o cirurgião realizava o fechamento do septo em uma paciente de 18 anos.

No Brasil, a primeira cirurgia com CEC aconteceu em 1995. Na época, a invenção desse método revolucionou as cirurgias cardíacas. Desde então, somados outros avanços no campo da medicina, os índices de mortalidade, que chegavam a 30% na década de 60, caíram para 4%.

Na área da medicina a tecnologia já proporcionou uma série de avanços que consistem em facilitar o trabalho dos médicos e enfermeiros, bem como auxiliar na recuperação e melhoria dos pacientes. Quando o assunto compreende cirurgias cardíacas, é possível citar a importância da circulação extracorpórea.

Como já dito, a Circulação Extracorpórea (CEC), também conhecida como Perfusão Extracorpórea, corresponde a um método que permite a substituição das funções dos órgãos vitais de um determinado paciente. Esse tipo de procedimento é realizado por meio da operação de uma máquina, que é manuseada por um perfusionista, um profissional integrante da equipe médica que possui o treinamento e o conhecimento adequados para operar o equipamento e os seus componentes (mais adiante vamos detalhar as atribuições da carreira de perfusionista).

O desvio do sangue do coração para um sistema externo, possibilitando manter o paciente vivo (e, consequentemente, ao cirurgião entrar em cavidades cardíacas dentro de uma área praticamente seca), foi crucial para a correção de problemas congênitos ou adquiridos com o tempo pelo indivíduo.

Com esse advento, cada vez mais conhecimentos puderam se juntar à gama dos estudos relacionados ao coração e à circulação sanguínea; as reações às agressões causadas pela cirurgia; bem como as técnicas relacionadas ao sistema interior, onde todas as células se encontram imersas e o metabolismo é desenvolvido, produzindo assim energia para todo o corpo. Também vale lembrar que a partir desses conhecimentos também foi possível um maior aprofundamento no estudo da chamada homeostase, que regula e equilibra a produção da energia. Deste processo são derivados os ácidos; o calor; o gás carbônico; os catabólitos; a água e outros elementos, que podem ser modificados ou podem ser eliminados pelo corpo do ser humano.

2) Como funciona a máquina de circulação extracorpórea (CEC)?

A circulação extracorpórea, que também é comumente chamada de “Máquina Coração-Pulmão” ou CEC, se caracteriza por ser um equipamento que tem a função de receptar o sangue que está pobre em oxigênio e devolver ao paciente esse mesmo sangue oxigenado. Os componentes da circulação extra-corpórea são: uma máquina responsável pela propulsão e aspiração; uma bomba centrífuga, também chamada de “bio-pump”; um reservatório; um sistema de mistura de sangue e solução cardioplégica chamada de cardioplegia; e os tubos arteriais e venosos.

A solução cardioplégica é uma solução que contém sangue rico em eletrólitos, como Cálcio, Magnésio e outros elementos. Ela é uma solução que possibilita a operação ao induzir a parada do coração. O tempo de pinçamento de aorta é o tempo em que o coração é paralisado por meio da solução cardioplégica e possibilita o médico fazer a operação.

O mecanismo de uma máquina extracorpórea apresenta componentes, tais como cronômetros, bombas peristálticas, filtro e reservatório de sangue, sistema que efetua o controle do nível da água, reguladores de temperatura, tubos que efetuam a circulação do sangue e termostato. O processo de funcionamento de uma máquina de circulação extracorpórea é possibilitado por meio de um sistema de bombeamento. Esse sistema é constituído essencialmente por uma bomba arterial propulsora unidirecional de sangue e um oxigenador. Tanto essa bomba arterial quanto o oxigenador possibilitam que o processo de perfusão e também as trocas gasosas, que é a hematose, sejam devidamente realizadas.

Diante dos avanços tecnológicos na área da medicina, podemos dizer que a máquina de circulação extracorpórea é um equipamento de grande utilidade nas cirurgias cardíacas e pulmonares que exigem alto grau de complexidade. Assim, é perfeitamente possível dizer que a circulação extracorpórea contribui imensamente pelo prolongamento de muitas vidas.

 

Figura 2. Máquina de Circulação Extracorpórea BEC (fonte: Braile Biomédica).

 

 

Figura 3. Máquina de Circulação Extracorpórea BEC (fonte: Braile Biomédica).

 

3) Quais as aplicações da Perfusão Extracorpórea?

É inegável que o grande sucesso da cirurgia cardíaca está intimamente relacionado ao desenvolvimento e uso da perfusão extracorpórea. Por muitas décadas a circulação extracorpórea somente pode ser realizada em uma sala de operação cirúrgica, hoje dispositivos pequenos e portáteis permitem a realização da circulação extracorpórea durante o transporte e estabilização dos pacientes fora do hospital.

Diante da melhora dos resultados após a implantação dos dispositivos de primeira geração para a circulação extracorpórea, o próximo passo foi expandir o uso para tratar órgãos, ou o organismo todo em pacientes com determinadas doenças, como câncer ou parada cardíaca, ou em doadores marginais. Certos tipos de câncer (melanomas, sarcomas) estão sendo tratados em alguns centros usando perfusão regional (perfusão isolada de membro), na qual uma extremidade é isolada da circulação sistêmica e o sangue coletado da veia femoral ou axilar é aquecido e suplementado com quimioterápicos e injetado de volta na respectiva artéria.

Outra abordagem é circular drogas quimioterápicas aquecidas pela cavidade peritoneal, um método chamado de perfusão peritoneal hipertérmica contínua ou quimioterapia intraperitoneal hipertérmica. Uma abordagem similar, a perfusão quimioterápica intratorácica hipertérmica, é usada para recorrências pleurais de malignidades. Até mesmo o aquecimento do corpo todos está sendo estudado como opção potencial de tratamento para câncer metastático.

Um novo campo para a perfusão extracorpórea, é a perfusão ex vivo para o transporte de órgãos doados. A base lógica é evitar um prolongado período de isquemia durante o transporte de órgãos (geralmente no gelo) e permitir a melhora na função de órgãos provenientes de doadores marginais (ex: coração e pulmões). Outras aplicações potenciais são: melhorar o sistema imune do paciente (imunoterapia) e tratar a isquemia cerebral (fonte: Beyersdorf, 2017).

 

4) Quais são as atribuições do perfusionista?

Podemos dizer que o perfusionista é um especialista em fisiologia circulatória, respiratória, renal, centro cirúrgico e esterilização. É um profissional qualificado para planejar e realizar todos os procedimentos da circulação extracorpórea. Ele se comunica com o cirurgião ao longo de toda a operação e vários tipos de informação são trocadas entre eles, como as estratégias que vão ser usadas na cirurgia, as condições do paciente durante a operação em andamento, os exames que estão sendo feitos no momento e muitas outras informações. O perfusionista é de suma importância para que a cirurgia e a circulação extracorpórea ocorram com total sucesso. Segundo o CRBM 1, compete ao biomédico perfusionista:

  • operar máquina extracorpórea em cirurgias torácicas e cardíacas, responsabilizando-se pela manutenção das atividades vitais do organismo (oxigenação e circulação sanguínea).
  • atuar em equipe de cirurgiões cardíacos;
  • circulação extracorpórea / suporte cardiopulmonar;
  • contrapulsação;
  • suporte circulatório / assistência ventricular;
  • Oxigenação por Membrana Extracorpórea (ECMO);
  • técnicas de conservação de sangue / autotransfusão;
  • preservação do miocárdio;
  • anticoagulação e monitorização e análise hematológica;
  • monitorização fisiológica e análise dos parâmetros estudados;
  • monitorização e análise dos gases e bioquímica do sangue;
  • indução e reversão de hipotermia / hipertermia; hemodiluição; hemofiltração;
  • administração de medicamentos, sangue e componentes e anestésicos através do circuito extracorpóreo;
  • documentação das atividades realizadas;

Outras atividades podem incluir:

  • perfusão de órgãos e membros isolados;
  • análise eletrofisiológica;
  • assistência cirúrgica;
  • preservação de órgãos;
  • diálise.

  

5) Qual o mercado de trabalho em Circulação Extracorpórea (Perfusão)?

O mercado de perfusão é um ramo bem amplo e receptivo para qualquer profissional competente que esteja disposto a sempre se atualizar e estudar, que seja cuidadoso, atencioso e disciplinado. A gama de atuação dentro da perfusão é muito vasta, pois compreende vários tipos de atuações, como podemos citar a seguir:

  • suporte em cirurgia cardíaca em adultos, neonatal e pediátrica;
  • suporte em cirurgia oncológica;
  • suporte em cirurgia vascular;
  • transplante de pulmão, coração e fígado;
  • atuação em UTI’s que possuam ponte para transplante e suporte de vida para pacientes;
  • docência (graduação e pós-graduação);
  • representação comercial (vendas);
  • assessoria técnica (suporte científico);
  • pesquisa científica (mestrado, doutorado etc).

Além de salários interessantes, muitas empresas oferecem diversos benefícios, como: Assistência Médica, Assistência Odontológica, Convênio Farmácia, Seguro de Vida, Vale-Alimentação e Auxílio Creche.

6) Quanto ganha um Especialista em Circulação Extracorpórea (Perfusionista)?

Os salários dos Especialistas em Perfusão podem ultrapassar R$ 8.600,00/mês. É uma carreira que está em grande evidência no mercado, pois trata-se de uma profissão muito bem remunerada, sendo bastante procurada por profissionais das áreas de saúde, como biomédicos, enfermeiros e biólogos, entre outros.

De forma geral, a remuneração pode variar de R$ 2.500 a R$ 8.600/mês, conforme a função exercida, bem como com o hospital ou empresa que contrata os serviços. Para poder atuar na área, a grande maioria dos hospitais, públicos ou privados, bem como as empresas que comercializam produtos e materiais exige diploma de ensino superior em alguma graduação da área da saúde, assim como ter o título de Especialista em Circulação Extracorpórea (pós-graduação lato sensu).

7) Quais os primeiros passos para iniciar a carreira de Perfusionista?

O primeiro passo é buscar mais informações sobre a carreira, como você está fazendo agora. Parabéns, pois você já está saindo na frente dos concorrentes! Conhecer o mercado de atuação, ou seja, saber quais as possibilidades de atuação na área de perfusão, é primordial, visto que o profissional pode atuar controlando diretamente a máquina de CEC, mas também pode atuar na área de vendas de produtos e equipamentos. Saber o que o profissional faz no dia a dia e entender como é sua rotina também é muito importante, já que se trata de uma profissão com uma ampla gama de atuações.

Para começar a ter mais contato com a carreira de perfusionista, você pode começar fazendo minicursos presenciais ou à distância (online). Para conhecer melhor o Minicurso de Circulação Extracorpórea (Perfusão) do IBAP é só clicar na imagem abaixo.

8) Como se Especializar em Circulação Extracorpórea (Perfusão)?

Agora que você já decidiu que seguirá a carreira de Perfusionista, chegou a hora de se especializar. O IBAP Cursos oferece o Curso de Especialização em Circulação Extracorpórea e Assistência Circulatória Mecânica, uma Pós-graduação Lato Sensu com certificação acadêmica e profissional, reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC). O curso, com duração de 18 meses, é dirigido a enfermeiros, biomédicos, biólogos, fisioterapeutas, farmacêuticos e outros profissionais graduados nas áreas de Ciências Biológicas e da Saúde que planejam atuar como perfusionistas e tem o objetivo principal de proporcionar os conhecimentos necessários para que o profissional saiba realizar o preparo da máquina coração-pulmão, o manuseio do circuito extracorpóreo e a condução do suporte extracorpóreo durante qualquer procedimento cirúrgico, entre outras funções.

A grade curricular inclui aulas sobre anatomia e fisiologia cardiorrespiratória; farmacologia da CEC; cardiopatias congênitas e adquiridas; técnicas, aplicações e indicações da CEC; assistência circulatória de longa duração; noções básicas de centro cirúrgico e esterilização; CEC em crianças, gestantes e idosos. O aluno também terá que fazer estágio supervisionado obrigatório e deverá apresentar o Trabalho de Conclusão de Curso. A carga total é de 900 horas.

As aulas práticas e teóricas acontecem em um fim de semana por mês (sábado e domingo, das 8 às 18 horas). Já o estágio supervisionado obrigatório poderá ser realizado durante a semana.

Ao final do curso, o Especialista em Circulação Extracorpórea e Assistência Circulatória Mecânica estará tecnicamente qualificado e capacitado para preparar e conduzir, bem como dominar qualquer procedimento atual que necessite de suporte extracorpóreo. Isto é, trata-se de uma pós-graduação completa que permite ao aluno ter um certificado que comprova que, enquanto profissional da saúde, ele está apto para exercer a função de Especialista em Perfusão.

O IBAP está oferecendo Bolsas de Estudo Parciais e Integrais (de até 100% de desconto na mensalidade) e as inscrições para o Processo Seletivo/Concurso de Bolsas devem ser feitas diretamente no nosso site. São somente 20 vagas por turma. O início do curso está previsto para o próximo dia 8 de julho.

Acesse o site agora mesmo e saiba mais sobre este e outros cursos de especialização realizados pelo IBAP Cursos.

Gostou desse artigo? Compartilhe e leia outros textos em nosso blog!

 

Referências

Beyersdorf F. New dimensions for extracorporeal circulation. Interact CardioVasc Thorac Surg 2017;24:479–81.

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.