Características gerais dos vírus

Características gerais dos vírus

14 set
Postado por Categoria: Blog

Os vírus podem ser definimos com uma mistura de mistério e terror. Os vírus não possuem estrutura celular, mas são seres vivos, interagem com o ambiente (organismos de estrutura celular) de maneira espontânea; quando isso acontece, o organismo em questão reage a ação, podendo conviver com o mesmo, expurgá-lo ou ser agredido de um modo muito nocivo para sua integridade. Em suma, as características gerais dos vírus são muito abrangentes.

Acelulados, os vírus se reproduzem a partir das células de outros organismos. A sua estrutura é composta por ácido nucleico de DNA, RNA ou ambos, envolvido por uma membrana de proteína chamada de capsídeo. Como qualquer ser vivo o vírus se enquadra em uma taxonomia, mas como suas características são muito específicas, e alguns detalhes ainda são uma mistura, os vírus ainda são estudos e organizados separadamente dos outros reinos.

A estrutura do vírus também é variada, alguns chegam a possuir enzimas. Todavia, uma certeza sobre esses seres é que os vírus são os únicos seres vivos conhecidos que não possuem células e eles também são parasitas obrigatórios, ou seja, eles dependem de outro organismo vivo para poder ser reproduzir.

 

As principais características dos vírus

Vírus

  • Estrutura viral (composição): Ácido nucleico, capsídeo, nucleocapsídeo, capsômeros, envelope e peplômeros;
  • Morfologia: Icosaédricos não-envelopados, icosaédricos envelopados, helicoidais não-envelopados, helicoidais envelopados e vírus complexos;
  • Ciclo de reprodução: Por ser parasita, o vírus depende das células de um organismo vivo para reproduzir. O ciclo de reprodução é lítico ou lisogênico. O lítico infecta a célula, assume o metabolismo (se reproduzindo através disso) e a deixa inativa; no ciclo lisogênico passa a participar da divisão celular ao infectar o seu ácido nucleico. Desse modo, quando a célula se divide, o vírus se reproduz;
  • Não é exclusividade dos animais: Os vírus não infectam apenas organismos de origem animal, também é possível encontrar esses seres microscópios presente em fungos, insetos e vegetais. Uma folha de alface, por exemplo, normalmente está cheia de vírus, mas como o vírus da planta não afeta o ser humano, as pessoas podem comer normalmente;
  • Variações do mesmo vírus: Existem mais de três mil tipos de vírus e alguns deles são similares. A influenza, o vírus da gripe, tem muitas variáveis conhecidas, das mais comuns aos mais raros e agressivos. Isso acontece por que o vírus pode ter sua estrutura modificada ao mudar de organismo infectado, como o caso do HIV, que é sempre diferente de pessoa para pessoa;
  • Erradicação: O vírus da varíola causou muito estranho no mundo, mas ações de prevenção combinado como muita pesquisa resultou na primeira erradicação de uma doença;
  • Sistema imunológico: O sistema imunológico humano tem capacidade de catalogar um vírus na primeira infecção, podendo criar anticorpos que vão atacar uma segunda infecção. Alguns vírus, como o HIV, atacam o sistema imunológico;
  • Ter um vírus não é ter uma doença: Um organismo pode estar contaminado com um vírus, mas isso não significa que a pessoa terá alguma doença, para isso acontecer é necessária uma “ativação”, como o caso do HIV ou do vírus do herpes.

 

Fontes utilizadas

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/biovirus.php

http://brasilescola.uol.com.br/biologia/caracteristicas-gerais-dos-virus.htm

http://www.sobiologia.com.br/conteudos/Seresvivos/Ciencias/virus.php

https://pt.wikipedia.org/wiki/V%C3%ADrus#Genoma

 

Por: Marina Caxias | Texto Aprovado pelo Conselho Científico do Instituto Biomédico – IBAP

Este artigo faz parte da série de textos sobre microbiologia.

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.