Antibióticos e mecanismos de ação

Antibióticos e mecanismos de ação

08 ago
Postado por Categoria: Blog

Quando o corpo humano é infectado por um agente estranho, não necessariamente nocivo, os anticorpos entram em ação para poder limpar o organismo dessa substância ou microrganismo. No caso de uma bactéria ou vírus, quando o inibidor natural não é o suficiente, a pessoa fica doente necessitando a injeção de medicamentos para o tratamento.

Dentre os tipos de tratamentos possíveis, o uso de antiéticos é mais popular e agressivo dos meios. A função do antibiótico é atacar diretamente o agente patogênico causador da doença sem provocar danos colaterais ao hospedeiro, ou seja, paciente. Como mencionado, o medicamento também pose ser agressivo, causando efeitos colaterais, sendo esse o motivo do uso de antibióticos ser restrito a indicação médica.

Os tipos de antibióticos em uso: Orgânicos, semi-orgânicos e sintéticos.

 

Os mecanismos de ação dos antibióticos

antibióticos

Quando é falado que o antibiótico ataca o agente patogênico as pessoas imaginam que a droga faz isso de maneira literal, matando os microrganismos ou as deteriorando. No entanto, o funcionamento dos mecanismos de ação de um antibiótico é um pouco mais complexo do que isso, variando de substância para substância e atuando de maneira diferente dependendo do microrganismo o que deve ser combatido.

  • O antibiótico impede a reprodução do microrganismo, impossibilitando que a bactéria ou vírus continua a se multiplicar no corpo;
  • O antibiótico também pode impedir a formação completa do peptidoglicano, uma substância que deixa a estrutura celular da bactéria muito mais rígida. Desse modo os anticorpos e até mesmo outras substâncias do mesmo antibiótico pode eliminar os microrganismos nocivos;
  • Um antibiótico também pode inibir a síntese de proteínas bacterianas, impedindo a produção das proteínas da bactéria causadora da doença. Sem as proteínas as bactérias não podem mais se reproduzir;
  • Alguns agentes químicos imitam os metabólitos das células bacterianas, se ligando as suas enzimas e a impedindo de se reproduzir ou se alimentar, que por ventura também impede sua multiplicação;
  • Outros antibióticos atuam modificando a membrana plasmática da bactéria. Ao ter sua estrutura modificada a bactéria acaba perdendo os metabolitos, também inibindo sua ação no organismo.

Normalmente os resultados positivos na saúde pelo uso do antibiótico são bem rápidos, pois as substâncias são realmente agressivas. Porém é importante ressaltar o fato de que o ciclo de remédio (período de tratamento) deve ser completado conforme orientações médicas.

Muitos pacientes melhoram rapidamente e param de tomar o antibiótico, mas isso não significa que as bactérias sumiram por completo, isso significa que a ação inicial do medicamente eliminou microrganismos o suficiente para que as colônias restantes não causam sintomas agressivos.

Digamos que o antibiótico tenha destruído dois terços das colônias de bactérias, isso significa que o terço restante é mais resistente, necessitando da continuidade do tratamento para a eliminação completa. Quando isso não acontece, essas bactérias restantes, mais resistentes, voltam a se multiplicar e causam efeitos muito mais agressivos do que os inicias e o antibiótico utilizado anteriormente não consegue mais ter efeito no corpo.

Muitas pessoas morrem por causa disso, por isso que é importante seguir corretamente as ordens médicas.

Nenhum comentário ainda

You must be logado em para post a comment.